Burros e artes. Burricadas na costa vicentina - Pag 1 de 3 | iOnline

Burros e Artes
Reportagem na iOnline News

Não espere ir montado no burro. Nada disso. Pelo menos pode contar com uma dor de costas a menos, já que eles podem carregar a sua bagagem. Clara Silva foi experimentar as caminhadas (e fotografar) da Burros e Artes, uma pequena empresa que organiza burricadas.

Quanto mais tarde, mais quente, mais insectos e burros menos animados. Ao meio-dia já é a hora da soneca deles." Sofia von Mentzingen alerta-nos por mensagem para o estado de espírito dos burros à hora do calor. "Burros menos animados" é o que não queremos e por isso tentamos chegar mais cedo. Ainda assim, animação não é a palavra de ordem entre os 12 burros da quinta. Em Aljezur, o Verão parece já ter começado há algum tempo e os burros do Sítio dos Burros, no vale das Amoreiras, parecem estar desmaiados ao sol. Pelos vistos estamos em plena "hora da soneca".

Ainda assim, Sofia, de 48 anos, uma alemã a viver em Portugal há dez anos, vai buscar dois deles para tentar reanimá- -los com um passeio pelas sombras das redondezas. Flor e Luna, mãe e filha, estão habituadas a passear juntas - por isso não convém separá-las - e serão a nossa companhia do dia durante a visita ao Burros e Artes.

É este o nome do projecto criado em 2009 por Sofia e pela amiga Elsa Ribeiro, dedicado a "passeios pedestres, animação ambiental e interacção com a região [a costa vicentina], tudo e sempre na companhia de burros", explica-se no site. "Eu sou a dos burros e a Elsa é a das artes", acrescenta Sofia num português quase perfeito, apesar do sotaque.

Ler a reportagem na íntegra: Burros e artes. Burricadas na costa vicentina - Pag 1 de 3 | iOnline